Fazendo Caminho I <$BlogRSDUrl$>

domingo, fevereiro 08, 2004

POEMA DA SOLIDÃO DO VENTO

É o vento.

O vento vivo e claro
que percorre e não prende
o corpo nu das árvores.

É o vento.

O vento que se inclina
junto às portas fechadas
e tateia as vidraças
com longos dedos de ágata.

É o vento.

O vento que se humilha
- e partirá tão só
como à chegada.


Glória de Sant'Anna
Um Denso Azul Silêncio

Comments:
<$BlogCommentBody$>
<$BlogCommentDeleteIcon$>

This page is powered by Blogger. Isn't yours?

on-line